top of page

Fracasso, Sucesso e Pirraça




Se dei errado por culpa dos meus pais, não posso dar certo pra mérito dos meus pais. Dar certo seria um elogio a eles. Isso não farei!

Outro dia postei essa frase nos stories e o pessoal pediu pra falar mais um pouco sobre o assunto. O fato é o seguinte, muitos fracassos profissionais e pessoais estão debaixo dessa dinâmica do que chamo pirraça existencial.


Perguntaram nos comentários se isso seria algo consciente ou inconsciente e respondi: os dois. Claro que acontece mais no nível inconsciente, mas já vi alguns conscientes que dizem "prefiro morrer do que conversar com minha mãe".


- O que fazer? O que resolve se me apercebo nessa dinâmica da pirraça?

Antes de responder, queria lembrar que a abordagem sistêmica não espera e nem mesmo sugere que seus clientes babem-ovo dos pais. Não se trata disso. É óbvio que incentivamos o amor e o laço, mas nem sempre é possível. Em muitos casos só será legítimo o amor-racional - e é disso que se trata esta conversa aqui. Espero mesmo que ajude a muitos e que possa servir de algum impulso reflexivo. Leia, comente no fim da página e compartilhe com aqueles que podem ser beneficiados. Bom vamos lá:


- O que fazer?


1) tomar consciência e se confessar na-pirraça já é um excelente início - essa é a parte de dentro, na alma, no íntimo;


2) depois, perceber o que será preciso fazer-fora, quais ações serão possíveis tomar (nesse ponto, o povo empaca);


3) por fim, baixar o orgulho pra sair do empacamento e amar! É a única coisa que nos resta no fim das contas! Amar.


Poxa, Isabela. Achei que você fôsse explicar mil e uma coisinhas. Queria sentir um efeito ual! e você vai falar de amor?


Pois é. Isso pode lhe parecer um tanto vago e piegas. E, talvez lhe seja mesmo, ainda. Contudo, didaticamente, a gente pode separar o Amor em duas categorias. Isso vai ajudar no esclarecimento. Mas, pode ficar tranquilo que não é nada chato, extenso e blábláblá.


Aqui no texto, falo do amor-decisão e não do amor-sentimento. Quanto a este último (o amor-sentimento) as pessoas, geralmente, tem em mente algo romantizado, fru-fru, margarina. Mas, o amor-decisão seria algo mais pé no chão e diria até estratégico. Amor-decisão é escolher, racionalmente, amar a si mesmo e o outro!


Mesmo sem querer, mesmo sem sentir, dá pra amar, sabia?

Amar-racionalmente é olhar para a história do pai agressivo, por exemplo. Isso cria conexões novas entre as duas almas e oxigena as relações. Fazer isso gera empatia. A gente precisa aprender a amar-racionalmente. Ou seja, criar empatia por sua história e sua dor (pois, você viveu de fato coisas terríveis), sem desconsiderar a história do outro e a dor do outro (que também viveu debaixo do chicote do avô).


Veja bem. Todos erram, caramba! Todos têm limites. Sei que dói não ter aquele pai e aquela mãe que você sonhou. Não ter o irmão mais velho lhe defendendo e apoiando. Ou a irmã lhe fazendo companhia. Sim, dói sim. Vejo isso no consultório aos baldes e me dói o coração (o terapeuta sente junto, é desconfortável, claro!).


Mas, a sugestão aqui pra quem passou e passa algo assim é: não carregue essa decepção, essa raiva e essa hostilidade por tanto tempo assim! Isso vai lhe destruir e aumentar ainda mais sua tragédia.



 

Conheça a proposta e vem crescer!

 

Isso é falso!


Mas aí, depois que eu falo isso, geralmente objetam barulhentamente assim:


... mas, eu não amo quando penso em tal pessoa, eu não sinto amor quando converso com ela, então é amor falso, não vai prestar pra nada esse movimento, não estarei fazendo de verdade, de coração! Eu não amo, eu não consigo, não vai dar!!!

Lembra que no ponto 3) falei de amor-decisão x amor-sentimento? Vou esmiuçar um pouco mais, pois isso é crucial para dar o próximo passo firme e eficientemente.


No início pode parecer falso mesmo pois a água vai estar lamacenta, você está dolorido, confuso, no meio duma tempestade de emoções, mas com o tempo as coisas vão clareando e, talvez, o amor-sentimento pode até brotar depoooooois da ação fria e racional.


Depooooois! Então calma, uai! A parte prazerosa dum serviço árduo, conquistado, construído vem depoooois. Então, calma!

Via Dolorosa


Faz sem sentimento mesmo, capiche? É o que a gente sempre diz na abordagem sistêmica: fazer o que é preciso. Anota: adultos fazem o que é preciso e não o que querem! Não espere as sensações gostosas aparecerem e nem se guie por elas - quem age por-sensação é a criança que escolhe a via do prazer e evita a via dolorosa.


C-A-L-M-A-!


Por fim, eu ressaltaria o que sempre digo por aí nas minhas Lives e no consultório.

Aliás vou dizer mais 2 coisinhas mega-importantes!


1) Tomar pai e mãe não tem a ver com a qualidade deles e sim com a sua.


2) Ama e confia na vida. Pede ajuda à sua alma. Acredito muito que das profundezas do nosso ser vem auxílio quando a gente ajuda a ajuda chegar.


Na clínica, percebo isso. Os dóceis são abençoados, os bravos e exaltados se machucam ainda mais - como um bichinho preso no arame farpado que quanto mais se debate, mais rasgado vai ficando. C-A-L-M-A-!

Um dia, lá na frente, daqui uns cinco anos, você vai olhar pra isso tudo é constatar com orgulho e alegria:


Nossa! Ainda bem que foi daquele jeito. Nossa quanta força eu tive! Nossa, foi custoso mais eu cresci!

Desejo-nos. boa viagem!


 


LIVRO


Tenho um livro muito leve, didático e motivador que fala tim-tim por tim-tim dos muitos e ricos benefícios que essa filosofia de vida adiciona à nossa existência quando a compreendemos como estilo de vida. Compre o seu! 






 



Estudei Psicanálise e Psicologia, sou Cientista Religiosa e me considero uma divulgadora dos princípios sistêmicos, da filosofia de Bert Hellinger e da Constelação Familiar. Especializei-me no Atendimento Individual Online há mais de 8 anos e utilizo, para tanto, de uma plataforma virtual onde realizo minhas sessões. Após vários treinamentos de Constelação Familiar junto à uma das principais escolas do país, o Idesv, criei meu próprio método de atendimento com bonecos online e já são cerca de 8000 clientes servidos através dessa metodologia. Também usufruo do ambiente digital das redes sociais para informar e educar minha audiência quanto ao universo das Constelações Familiares, atingindo mensalmente milhares de pessoas no Brasil e no mundo com a sua contribuição.



576 visualizações13 comentários

Posts recentes

Ver tudo

13 Comments


"Amor-decisão é escolher, racionalmente, amar a si mesmo e o outro!" Uuuaaauuuu esta mulher é incrivelmente sábia. Preciso urgentemente de algumas Sessões com ela. Gratidão profunda!🙌🏼🙏🏼❤️

Like
Replying to

Será bem-vinda, se precisar. Att Isabela

Like

Guest
Apr 29

Te sinto tão centrada e responsável. Tranquila também. Parabéns pelo seu trabalho. A calma, a compreensão e o aceitar precisa vir do coração. Um dia de cada vez. Muito bem explicado! 🎼🎶Claro como o sol raiou!🎵🎶

Like
Replying to

Oba! Que bom que a mensagem chegou... Obrigada pelo carinho

Like

Guest
Apr 29

Você é simplesmente maravilhosa, tem uma didática perfeita .Precisava ler esse texto .Eu consigo fazer esse movimento pra uma filha? Ou teria que ser ela mesmo “cortando na carne” pra curar esse movimento da vida ?

Like
Replying to

se ela ainda é criança pequena, cuidar de si ajuda se ela é adolescente para adulta: cuidar de si e também ela pracisará se envolver

se ela é adulta: é mais com ela do que com você

Like

Guest
Apr 29

Obrigada pelo texto. A calma é imprescindível para ajudar a ajudar a alma nesse movimento.

Like
Replying to

😆

Like

Guest
Apr 28

Como sempre, muito bom Isabela! Né mole não né rs...mas...sigamos tentando ser adultos e humildes para conseguir fazer assim.

Like
Replying to

vai dar certo :)

Like
bottom of page