Não é espiritual, nem é religião. Conheça Bert Hellinger | Constelação Familiar – Constelação Familiar Sistêmica

Não é espiritual, nem é religião. Conheça Bert Hellinger | Constelação Familiar

Sempre digo que Bert Hellinger não fala de espíritos e sim dos mortos.

Morto não é espírito (sempre digo também).

Como chamar um antes-vivos a não ser de morto?

Bert fala dos que, agora mortos e outrora vivos, existiram na nossa família (no nosso grupo). Só isso.

Bert diz mais. Ele diz que temos ligação com eles.

E é, claro, que temos.

Biologicamente não estaríamos aqui se não fosse por cada um deles.

Essa é a ligação com os mortos de que trata a Constelação Familiar.

Como falar que “somos ligados aos mortos” sem usar a palavra ligação?

Essa é a linguagem dele. Tão simples, tão lógica e, paradoxalmente, tão poética (bem ao estilo Bert de ser, pensar e escrever).

Não é implicância minha com a espiritualidade (como as vezes pode parecer), mas um cuidado com a linguagem e um cuidado maior ainda com as muitas hermenêutica que daí irrompem.

Isso tem produzido um arsenal de “constelações paralelas”. A impressão é de que existem vários “Berts”.

Por isso menciono tanto esse tema. É só esclarecimento mesmo.

A cada dia que leio e releio a filosofia de Hellinger (tal qual foi concebida), mais claro fica o quão especial podem ser esses princípios sistêmicos – quando não eclipsados por tanta interpretação desconexa.

Muitos colocam as Constelações Familiares como algo espiritual (no sentido religioso e ou místico), e isso afasta um bocado de gente desse benefício.


Aula ao vivo toda 4f as 21h


É por isso que bato tanto nessa tecla.

Para que aqueles que desconhecem Bert Hellinger (em essência) possam se achegar e pisar nesse terreno do primordial, do que disse Bert desde seu começo, sua evolução e sua base.

Enfim.

Vou deixar um trecho do livro A Fonte Não Precisa Perguntar pelo Caminho, p. 275, que explica isso nas palavras sintéticas do próprio Hellinger:

[Participante] Portanto, pode ser que, dizendo agora bem banalmente, os espíritos persigam alguém até tal morto ser reconhecido ou liberado? Isso não entendi totalmente.

[Bert Hellinger] Aqui não se pode falar de espíritos. Não creio que isto seja apropriado.


■ Isabela Couto | Atendimento Online com Bonecos baseado em Bert Hellinger

Deixe um comentário