De que sobrenome você é feito? – Constelação Familiar Sistêmica

De que sobrenome você é feito?

Sistema

Estamos mergulhados em sistemas.

Há sistemas fora da gente, como o sistema solar, por exemplo.


E há sistemas dentro da gente, como os sistemas digestório e respiratório.


Há até sistemas não-naturais, ou seja, inventados pelos homens, como o sistema capitalista, o sistema da linguística, dentre tantos outros sistemas (religiosos, empresariais, institucionais, etc).


Atendimento Online Constelação Familiar




Um sistema entre muitos outros

O sistema familiar tão falado na Constelação Familiar é só mais um dentre muitos os tipos de sistemas que existem operando no mundo conhecido por nós.

Parece-me que todo e qualquer sistema tem suas leis e gera padrões.

Experimente comer muito doce pra ver o que lhe acontece.

Dor de barriga, no mínimo.

O organismo munido de seu sistema digestivo logo logo avisará que você exagerou.

Retire o sol do sistema de planetas.

Caem todos, um por um.

São as forças gravitacionais que operam alí.


Exclui o fundador ou líder de alguma empresa e verá também os seus resultados despencando.

Muito do que conhecemos é um sistema.

E os sistemas têm as suas leis.

 

Onde há grupos, há sistemas

O que o filósofo alemão Bert Hellinger trouxe de novo com esse assunto ”sistema”?

Bert Hellinger em anos de experimentação, observação, percepção e estudos entendeu que as leis sistêmicas atuam em todos os ambientes onde há grupos de pessoas se relacionando e interagindo umas com as outras.

Pensou em pessoas, multidão, massa, grupos, tropas, tribos, funcionários, assembleias, arenas, condomínios, salas de aula, famílias?



Pensou em gente-junta, então pode estar certo de que alí existem forças ocultas, inconscientes, subjacentes, sustentando a coesão do grupo.


Essas leis sistêmicas descritas e expostas por Hellinger são três: Ordem (hierarquia), Pertencimento e Equilíbrio.

 


A gravidade: um poder físico oculto


O conceito de forças que atuam num sistema familiar qualquer é bem similar ao da gravidade (também uma força natural e oculta) que sustenta os planetas que viajam na-lei e pelo espaço.


Sim, os planetas não estão a solta por aí, enlouquecidos, fazendo o que lhes dá vontade e desconsiderando o resto do universo-vivo em sua órbita e para além dela.

Eles estão agrupados (e muito bem agrupados) em zilhões de galáxias.


Esse acordo sistêmico inter e extra galáctico que tudo harmoniza existe por conta de muitos agentes que ainda desconhecemos e também dessa força oculta que chamamos de gravidade, por exemplo.

Força essa, contudo, que ninguém sabe o que é exatamente, nem de onde veio, nem quem a criou – ela existe, a gravidade simplesmente existe e dela só conhecemos alguns poucos efeitos.


Mini-Curso Gratuito | 10x mais resultados em sua Constelação Familiar




Os efeitos


Pronto. Chegamos num ponto ótimo.


Como saber que você está infringindo as leis de qualquer sistema no qual você esteja instalado e frequentando?

Com o perdão da expressão, a resposta é: você se f0#’[email protected]& muito quando ignora as leis de um sistema.

É assim que você fica sabendo se está na-lei.

 


Como já vimos a natureza tem suas regras, seu sistema, seu modos operandi e com ela não tem muita conversa. 

Como dizer ao tsunami ”aqui não, volta depois”?

Como dizer ao piriri ”agora não, volta depois”?

Esse enfrentamento às leis naturais não é nada inteligente.

Na verdade é perda de tempo.

 


Leis dos relacionamentos


Agora vamos transplantar a realidade do parágrafo anterior para os laços familiares?

Ordem, pertencimento e equilíbrio.

Basicamente é o seguinte: enfrentou, ferrou.

Ignorou essaa leis, ”dá-ruim”.

Você literalmente estará de alma dolorida, sentindo-se fracassado, tudo na vida dando errado, sem perspectiva, depressivo, sem perceber muito sentido para seguir existindo, desanimado, angustiado, reclamão e reclamona.


Bom, acho que você já entendeu.

Esses são os efeitos da infração de uma lei.

 

Nossa cegueira


Se em todos os agrupamentos há leis específicas que devem ser observadas e respeitadas, nós, ditos pós-modernos e vanguardistas, temos nos revelado totalmente cegos e insubordinados à tais ordens no que diz respeito aos relacionamentos humanos.

Somos inconscientes quase-totais, eu diria.

Afinal de contas nunca ninguém havia percebido e posto às claras – tanto quanto Bert Hellinger – a intensidade e relevância dessas leis em nosso cotidiano prático.


E, mais.

Nunca ninguém havia percebido que quando se fala em ”nosso grupo ancestral” isso inclui todo o pessoal que já morreu da nossa família e com quem nem mesmo tivemos qualquer contato.


Com esse ”todo” quero dizer pelo menos 3 gerações acima da nossa.

 


As influências


1) pais, tios e irmãos;

2) avós e tios-avós e;

3) bisavós).


Há algumas outras pessoas que devemos considerar também como irmãos natimortos ou abortos (provocados ou não, por exemplo).


Outros vínculos também são importantes, mas não vou mencioná-los aqui nesse artigo, por conta de espaço.


Contudo, posso dizer que vínculos não-sanguíneos significativos também contam como ”sistema familiar”.


Só sei que essa é uma realidade bastante diferente de tudo o que já vimos e ouvimos por aí e, certamente, causa estranheza mesmo.

Faz parte o novo ser estranhado pelo velho!


Assista os vídeos Constelação Familiar




Transmissão Psíquica


Herdamos cabelo, cor de pele e olho.


Essa é a herança biológica, a física, a tangível.

É mais fácil de aceitá-la porque é visível.

Mas, pelo visto, herdamos também os padrões de comportamento, os traumas e os segredos familiares.

Essa seria a herança arcaica ou a transmissão psíquica, segundo nos trouxe o psicanalista Sigmund Freud, em seus textos antropológicos.

Outros profissionais também perceberam algo ai.

São eles Renan Kaes, Leopold Szondi, Nicolas Abraham e Maria Torok.

Eles valem a pesquisa.

Uma herança sutil dos nossos antepassados que nos alcança já era percebida por muitos outros.

 

O sobrenome


Viemos de que sobrenome?

Aquele que assassinou muitos? Aquele que bebia e que se suicidou? Aquele que agrediu e abandonou os seus? Aquele que não lidou bem com dinheiro e com o sucesso?

De que sobrenome somos feito? De que sobrenome você é tecido? Já pensou sobre isso?

 



Determinismo

Nesse sentido há um determinismo, há um destino, há um fato: você nasceu bem depois, mil anos depois, há uma multidão que veio primeiro abrindo caminhos para você.

Você chegou por último, você chegou agora.

Para a grande maioria da população mundial a selva já não existe, os leões já estão mortos, as cidades construídas, a febre medicada e a comida já está guardada na geladeira (aquela caixa tecnológica que gela coisas e que conserva os alimentos por mais tempo)

 



EndiVIDAdos


Somos beneficiados por inúmeros ganhos culturais às custas de nossos ancestrais.

A sua vida aqui-agora tem um preço.

Custou muito para eles.

Nascemos endividados.

 

Devolva para o futuro


Será que já agradecemos por isso algum dia?

 

As leis, basicamente nos pedem o seguinte: agradeça (pertencimento), respeite a ordem (hierarquia), devolva para o futuro (equilíbrio e compensação)

 

Que las hay, las hay


Agora vai um recado final poderoso.

Não acreditem nessas tais 3 leis sistêmicas por conta de um artigo ou outro da internet.

Até porque essas leis não são matéria de crença e sim de fato.

Experimentem, observem, abram-se às essas percepções.

Isso aprendi dos meus professores que muito criativamente e com bom humor ensinam Constelação Familiar há mais de duas décadas no Brasil.

Parafraseando aquele ditado espanhol que diz ”yo no creo en brujas, pero que las hay, las hay”, Décio e Wilma dizem assim:

Não acreditem nas leis sistêmicas, mas que elas existem, elas existem

 

É isso!

 


Isabela Couto | Psicanalista | Constelação Familiar | Atendimento Online com Bonecos & Cursos

Deixe um comentário